Skip to content

Nonsense: Body changes

outubro 16, 2009

Nunca fui fã fervorosa dos piercings, mas ter uma tatuagem era um sonho. “Marcada como gado” ou não, eu já estava decidida. Nunca tive essa visão “pecuária” das tattoos, sempre imaginei algo mais como um clichê de quinta categoria do tipo “estar marcada com algo marcante” [redundante mesmo, lembra que é quinta categoria, né?!].

Pois então finalmente, depois de muitos anos pensando no assunto, resolvi tomar coragem. Há alguns meses decidi o que fazer, mas não tinha previsão para tirar o plano do papel. Afinal de contas o que eu estava esperando?

Três meses depois de completar um quarto de século resolvi reunir toda a minha coragem [coragem para enfrentar a agulha e os meus pais] e parti pro estúdio.

O engraçado é que quase na véspera de fazer a tattoo eu tava dando uma olhada nas tatuagens das celebridades e descobri algo em comum com a Christina Ricci.

Ela tem um leão tatuado em suas costas. É uma referência ao Aslan d’As Crônicas de Nárnia – O Leão, a Feiticeira e o Guarda Roupa. É claro que notamos o carinho especial que ela tem pela série de C.S. Lewis, mas Christina simbolizou a tatuagem como a opressão vivida quando jovem e a sensação de liberdade ao completar 18 anos.

Sendo assim, comecei a pensar em ideologias para a minha tattoo e me assustei em como elas se encaixavam perfeitamente a minha vida. Como assim?

  • a ligação que tenho com o meu pai;
  • a aparente necessidade de ser sucessora dele em tudo o que faz;
  • a necessidade de deixar o passado para trás;
  • a facilidade [não me vanglorio disso] em fugir dos meus problemas;
  • e uma homenagem pessoal ao amor que tenho pelo meu cachorro, cujo nome é o mesmo do personagem.

Então, vamos pensar um pouquinho no que escolhi pra ser minha tatuagem.

  • Dica 1: simboliza o meu amor pela Disney
  • Dica 2: é um leãozinho também [oi?!]
  • Dica 3: muito fofinho e cheio de estilo [nada ainda?]
  • Dica 4: Hakuna Matata!

Confesso que fiquei bastante apreensiva. Tive vontade de desistir, de mudar o desenho, de correr do estúdio, de sair do país… No final acabei engolindo o pânico e me deitando na caminha de uma vez.

 

A dor é suportável, embora eu seja bem fresca e tenha choramingado quase que o tempo inteiro. Alias, eu tenho que agradecer a Fernanda pela paciência e pelo ótimo trabalho. 

Eu cheguei ao estúdio faltando 10 minutos pra ele fechar e, super fofa, a Ferna tirou o desenho, preparou tudo e fez o serviço com muita eficiência. Quem estiver pensando em fazer uma tatuagem e residir no Rio de Janeiro eu super indico o estúdio Image of Tattoo.

Bem, e você lembra que eu disse ali no início do post que eu nunca fui fã de piercing? Pois é, no mesmo dia a Gabi me levou para o mal caminho. Hihihi!!

 

Não lembro o nome do rapaz que fez o nosso piercing, mas ele tem a mão bem levinha. Se você mora no Rio, dá um pulo no estúdio Kiko Tattoo e procura ele!

Flávia Castro

Anúncios

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: